Ronaldo Marinho

Literatura Contemporânea!

Textos

Amarro esposa e amanso sogra
Deparei-me com estes dizeres, impressos em um panfleto. Minha mente seguia agitada, assim como o trânsito. Problemas no namoro, dívidas e a falta de trabalho formal, me estressavam. Questionei-me: “A qual controle de qualidade é sujeito esse processo de amarração e amansamento?” Desacelerando os passos, retirei o celular do bolso. A vontade de marcqr uma visita crescia. Escrevi a mensagem, hesitante em concluir o envio. No rodapé do folheto, a frase: “Ofereço garantia no serviço prestado”.

A dona Germana (minha futura sogra) é frequentadora de um terreiro de umbanda, e sei que é ex-esposa do Zé Fofinho de Ogum. O receio é que ela soubesse  de meu interesse relacionado à magia. A velha está esquelética de tanto correr atrás de fofocas. Moramos no mesmo prédio. Entra lá em casa assoviando alto. Troveja críticas demoníacas. Tenho dó do Bumercindo, seu marido.

Na festa de aniversário de minha noiva, a Trovoada soou deselegante: “André, é hora de agilizar o casamento!”. Ao contrário da mãe, a Claudiane é discreta. A única observação um pouco ruim que posso pontuar em relação a ela, é que em dois anos de relacionamento, me traiu em seis oportunidades, e eu a perdoei sete vezes. Não devo satisfação a ninguém!

Vó Nenzinha Braço de Homem tornou-se minha esperança. Enviei o texto. No instante seguinte, recebi uma mensagem confirmando a consulta. Com direito a quiromancia, búzios, cartas e interação com os caboclos. Creio em premonição. Ontem, a Claudiane sonhou com um caboclo de olhos verdes.
Ronaldo Marinho
Enviado por Ronaldo Marinho em 07/06/2017
Alterado em 18/10/2019
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras